domingo, 1 de junho de 2014

RN: DESCASO PARA COM O PATRIMÔNIO E A HISTÓRIA NACIONAL

Capa do Novo Jornal do dia 1º de junho de 2014.


Tradicionalmente, ou por praga, apesar de raríssimas exceções, os políticos do Rio Grande do Norte, aliados a classe empresarial, sempre trataram o Estado como um brinquedo, o qual pode ser montado, desmontado ou, até mesmo, destruído ao seu bel prazer, sem o menor dos pruridos. Na primeira semana, por exemplo, de operações do novo aeroporto – nem vou dizer o nome para não me contrariar ainda mais –, que passou a funcionar em São Gonçalo do Amarante, a 30 quilômetros de Natal, o Aeroporto Augusto Severo, em Parnamirim, na Grande Natal, que passou a funcionar para a sociedade civil em 1951, embora com um histórico anterior, foi desativado sem o menor constrangimento pelas ditas autoridades do Estado. E exatamente há “um ano e nove meses após ter reforma que consumiu R$ 16,4 milhões e deixou o terminal pronto para operar até na Copa do Mundo”. Isso sem contar que, em 2000, houve uma primeira grande ampliação do aeroporto, na qual foram investidos R$ 60 milhões. À época, o governador do RN era o atual ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, parente, inclusive, do falecido político que dá nome ao novo terminal e que, aliás, diante da desativação do Aeroporto Augusto Severo, declarou que o mesmo “é uma página virada na história” – assim mesmo, como se fosse a coisa mais normal do mundo descartar uma estrutura como a que foi desativada, que, diga-se de passagem, possuía uma capacidade para receber 5,8 milhões de passageiros por ano, só 400 mil a menos do que a do novo, que é de 6,2 milhões (diferença irrisória, né?). Infelizmente, embora o tempo passe, certas pessoas nunca evoluem... Enquanto isso, espero que o político, jornalista, inventor e aeronauta brasileiro Augusto Severo de Albuquerque Maranhão (Macaíba, RN, 1864 – Paris, França, 1902), que dava nome ao histórico aeroporto, esteja rogando praga para que certos tipos de políticos não se reelejam, como lição, a fim de aprenderem a valorizar nem que sejam os bens da sua terra, que, é bom dizer, nem de longe é a Casa de Mãe Joana – o que dirá de Maria Boa!

Falarei mais a respeito na sequência, com certeza.

Nathalie Bernardo da Câmara


DE ARRASTÕES: FIFA, LULA, DILMA E C&A...

“Não vai ter Copa!”, bordão nas manifestações e nos protestos que, desde junho de 2013, conquistaram as ruas do Brasil, ganhando espaço e divulgação principalmente nas redes sociais, persistindo até hoje, refletindo, no caso, um amplo descontentamento popular com a realização da Copa de 2014 no país.


Em tempo: — A coisa que mais irá empolgar os jogadores, os jornalistas e os dirigentes de futebol do mundo (...) será o comportamento extraordinário do povo brasileiro. O tratamento que esse povo dará, estejam certos que marcará a história das Copas do Mundo... – trecho do discurso proferido no dia 30 de outubro de 2007, em Zurique, Suíça, pelo então presidente Lula na cerimônia em que a Federação Internacional de Futebol Amador (Fifa) oficialmente anunciou o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014.

Em seu delírio pretensioso, o megalomaníaco político, tinha, de fato, razão, embora, à época, ele ignorasse qual o tratamento que, anos depois, seria dispensado pelo povo brasileiro ao evento no país e como esse tratamento marcaria “a história das Copas do Mundo”, cuja edição, no caso, a de 2014 deveria ser chamada de A Copa dos Rombos – redundância “facilitar” o entendimento para tal cognome, título, inclusive, de uma postagem homônima, de minha autoria, publicada neste blog no dia 21 de maio de 2011 (link abaixo).

Sim, um espetáculo que só tem merecido desprezo, seja pelos sucessivos abusos da Fifa desde que pôs os seus insolentes pés em solo tupiniquim, usurpando, a seu bel prazer, bens de outrem; seja pela corrupção e peculato, nunca dantes vistos na História deste país, cometidos por políticos, autoridades e empresários, que, numa sequência de escândalos, sem previsão de um termo, ganham relevos surreais, enquanto aos seus responsáveis são atribuídos predicados nada edificantes, vilões que são dessa macabra trama.

Desse modo, antagonistas, privilegiam um supérfluo dispendioso em detrimento da qualidade de vida da população (educação, saúde, moradia, segurança, transporte e tantos outros direitos relegados à míngua, menosprezados. E irresponsavelmente, sem escrúpulos). Daí a visível insatisfação popular com a Copa – megaevento, aliás, rejeitado em todos os seus aspectos até dizer basta não somente por boa parte dos brasileiros, mas, também, por todos os cidadãos de bom senso, independentemente da sua nacionalidade.

Resumindo: com a graça de todos os patuás, a Copa de 2014 já se mostrou que não sairá como o esperado por aqueles que agiram e continuam agindo de má fé contra o povo brasileiro e contra o Brasil, ou seja, não será aplaudida em uníssono – vaias são bem-vindas, já que, afinal, não somos bananas nem, muito menos, marionetes, sem a menor intenção de sermos manipulados por incautos populistas: somos cidadãos que merecem respeito e que consideram o evento nada mais que um gol contra o Brasil – simples assim.

E se a presidenta Dilma Rousseff ainda continua achando que o país irá fazer a “Copa das copas”, conquistando o tão decantado hexa; se ela ainda acredita nisso, espero, sinceramente, do fundo da minha indignação, que a seleção brasileira não chegue nem nas quartas de final! Sim, porque, afinal, não é somente o descaso dos vilões do evento com as prioridades sociais do Brasil que possui um padrão Fifa não, mas, também, o nosso desgosto com todo o esquema montado para promover esse “circo” e o que ele simboliza...


Miséria em grafite

 “Temos de mostrar ao mundo e a nós mesmos que, de fato, a situação não é boa...”.

Paulo Ito, artista brasileiro, criador da primeira imagem viral da Copa de 2014 no Brasil.


No dia 10 de maio do corrente, tendo como suporte o portão de uma escola, no bairro da Pompéia, em São Paulo, o grafiteiro Paulo Ito pintou um mural, no qual um menino, sentado à mesa, chora de fome diante de um prato, que, ao invés de comida, tem uma bola de futebol. Segundo o pintor de rua, em entrevista ao Brasil Post, publicada no dia 21 de maio, a sua intenção foi a de expor a desigualdade social no país. Explícita, “a crítica faz coro às manifestações” que pululam por toda parte às vésperas do evento. “E não demorou muito para que se espalhasse pelas redes sociais instantaneamente, repercutindo internacionalmente. Depois de compartilhada pelo ator e diretor italiano Giovanni Vernia OOH, a imagem foi curtida mais de 25 mil vezes e compartilhada por mais de 25 mil pessoas”, logo virando manchete das principais publicações jornalísticas do mundo. Para o artista: — Acho isso muito positivo. Fico imaginando que, talvez expondo os problemas do país, a classe política apática possa pensar em criar o mínimo de vergonha na cara.

Porém, as críticas do muralista paulistano não se limitam aos políticos brasileiros, mas, sobretudo, ao principal organizador da Copa do Mundo: — Minha vontade mesmo era chutar a Fifa nas bolas, porque ela manda e desmanda como uma criança mimada nesse evento que, claro, é dela, uma empresa privada, mas as autoridades se dobram demais à ela. Acho que é importante o brasileiro entender que não se trata da Copa do Mundo de futebol, mas, sim, da Copa da Fifa.



Propaganda enganosa

No seu discurso de posse (1° de janeiro de 2011), num acesso, digamos, de delírio, a presidente Dilma Rousseff alardeou que não iria descansar enquanto houvesse “brasileiros sem alimentos na mesa”, enquanto houvesse “famílias no desalento das ruas”, enquanto houvesse “crianças pobres abandonadas à própria sorte”, ou seja, enquanto não erradicasse a pobreza extrema no Brasil – um jargão dos economistas para miséria –, em seus quatro anos de mandato.


Esta seria, no caso, a luta mais obstinada da presidente então recém-empossada, inclusive com a criação de oportunidades para todos – fala, aliás, por demais comovente e poética. Ocorre que, oito anos antes, o ex-presidente Lula já havia dito praticamente a mesma coisa, aparentemente, contudo, apostando as suas fichas na chamada inclusão social, inicialmente através do programa Fome Zero, mas que, ao final do seu segundo mandato, resumiu-se ao assistencialista Bolsa Família, não cumprindo, portanto, com a sua promessa. Curiosamente, ao longo do seu mandato e com este expirando-se, Dilma Rousseff igualmente não erradicou a miséria no Brasil – para ela, “a forma mais trágica de atraso” –, limitando-se a dar continuidade ao assistencialismo do seu antecessor, ou seja, a ficção repete-se – o detalhe é que, historicamente, o Partido dos Trabalhadores (PT) sempre criticou negativamente esse tipo de prática.

O fato é que, apesar de estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) ter confirmado, antes mesmo da posse de Dilma Rousseff, que a previsão mais aproximada para a eliminação da miséria seja o ano de 2016, não menos, os quase doze anos de mandato do PT à frente do Executivo, independentemente dos seus aliados, circunstanciais ou não, somados a todos os recursos mal aplicados por seus respectivos governos ou canalizados em prol de interesses escusos numa sangria que permanece desatando durante todo esse período, daria, sim, caso realmente houvesse interesse, para já se ter erradicado essa chaga social do Brasil. Infelizmente, embora essa realidade seja deplorável, indigna e desumana – daí, indigesta –, a sua erradicação foi relegada a um plano qualquer, ou seja, posta em escanteio, caída no esquecimento, visto que, afinal, como bem o disse o jornalista brasileiro Arnaldo Jabor: — A miséria não acaba porque dá lucro...




SALVE A SELEÇÃO?


O Brasil faz a Copa!
E, no país do futuro,
explode coração.
A gente está com fome:
uns, com fome de comida;
outros, com fome de amor,
já que nem todo prazer é vida,
pode ser SIDA.

Mas, o Brasil faz a Copa!
E, no país do futuro,
a comida apodrece, estocada.
Estocado o afeto.
Mas, aí, pagam com cartão de crédito,
genocídio, chacina, extermínio:
índios, negros e brancos.
Quantas crianças...

Mas, o Brasil faz a Copa!
E, no país do futuro,
a impunidade não é mais segredo.
O político deposto, altivo e liberto;
o indigente, no olho da rua.
Sem teto, sem terra, sem nada.
E nada é real!
Onde está o dinheiro?

Mas, o Brasil faz a Copa!
E, no país do futuro,
explode coração, de dor.
E doa em quem doer.
Doa quem quer.
E seja lá o que for,
o que deus quiser,
já que – dizem – ele é brasileiro.


Do baú... De minha autoria, o poema acima foi criado em Paris, 25 de setembro de 1993.
SIDA: Sigla não americanizada da AIDS, ou seja, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida.
Revisado, corrigido e atualizado: Brasília-DF, 13 de março de 2008.
Depois do dia 30 de outubro de 2007, quando o Brasil foi eleito para sediar a Copa de 2014, o verso “O Brasil vai à Copa!” foi substituído por: “O Brasil faz a Copa!”, ganhando ainda mais sentido.
Em 2014, mais recentemente, devido a minha indignação cada vez maior com todo o esquema montado para a promoção do evento no país, substituí a exclamação do título por uma interrogação.


Sugestão de leituras:


COPA DE 2014: UM GOL CONTRA O BRASIL (10 de maio de 2012) – http://abagagemdonavegante.blogspot.com.br/2012/05/copa-de-2014-um-gol-contra-o-brasil.html

UM FANTASMA RONDA OS TRÓPICOS (24 de maio de 2014) – http://abagagemdonavegante.blogspot.com.br/2014/05/um-fantasma-ronda-os-tropicos.html

Nathalie Bernardo da Câmara



MEIO AMBIENTE: AUMENTE SUA VOZ, NÃO O NÍVEL DO MAR

“É triste pensar que a natureza fala e que o gênero humano não a ouve...”.

Victor Hugo (1802 - 1885), escritor francês.


Em apoio à decisão da Organização das Nações Unidas (ONU) de eleger 2014 como o Ano Internacional dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, o Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas de 15 de dezembro de 1972, estará focado na mudança do clima. Segundo informações do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o tema é preocupante porque o nível dos mares aumentou de 10 a 25 cm nos últimos 100 anos devido ao aquecimento global, sendo o dióxido de carbono - principal gás causador do efeito estufa - responsável por 85% do aumento da temperatura da Terra nos últimos 10 anos. De acordo com o subsecretário-geral da ONU e diretor executivo do PNUMA, Achim Steiner: — Os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento estão enfrentando riscos relacionados à mudança do clima, desde o aumento de temperatura, que afeta negativamente a agricultura, até o crescimento do nível do mar, que ameaça a existência de algumas nações.

Foi, então, nessa perspectiva, que se elegeu o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente de 2014, ou seja, Aumente sua voz, não o nível do mar, com diversas atividades já sendo realizadas na Semana Mundial do Meio Ambiente por todo o planeta.

O país-sede das celebrações globais da data deste ano, por sua vez, é a ilha caribenha de barbados, cujo território, de 430 km² e 270 mil habitantes, é altamente suscetível aos efeitos da mudança do clima, dos impactos agrícolas à destruição de seus ecossistemas costeiros. Segundo a ONU, contudo, “a pequena nação, líder em energia solar, tem dado passos largos para reduzir sua pegada de carbono e oferecer energia limpa e renovável, bem como oportunidades para um crescimento econômico verde”, tendo, assim, priorizado o investimento em projetos para se proteger da mudança do clima. Dentre os seis objetivos concretos de seu Plano Estratégico Nacional (2006-2025), Barbados incluiu a Economia Verde, comprometendo-se “a aumentar a sua quota de energia renovável para 29% de todo o consumo de energia da ilha até 2029”, com tal iniciativa cortando “cerca de 283.5 milhões de dólares do custo total de eletricidade”, o que poderá, de acordo com o seu governo, reduzir “as emissões de CO2 em 4.5 milhões de toneladas”. 




Desafio mundial em prol do meio ambiente



Portal JusBrasil
por Carolina Salles mestre em Direito Ambiental


Campanha do Pnuma para o Dia Mundial do Meio Ambiente

Quatro embaixadores da Boa Vontade do Programa da ONU para o Meio Ambiente (Pnuma) estão disputando um desafio até o Dia Mundial do Meio Ambiente, que será celebrado em 5 de junho.

A modelo brasileira Gisele Bündchen, os atores americanos Don Cheadle e Ian Somerhalder e o jogador de futebol marfinense Yaya Touré, estão pedindo a pessoas de todo o mundo para participarem da campanha.

Energia
No site wedchallenge. Com, é possível entrar para o time de uma das celebridades e a partir daí, registrar atividades em prol do meio ambiente. O embaixador que tiver mais adesões vence o desafio.

A meta do ator Don Cheadle é ajudar na redução do consumo de energia. Para isso, ele pede aos participantes que usem lâmpadas fluorescentes, caminhem ou andem de bicicleta. Segundo o Pnuma, o dióxido de carbono é responsável por 85% do aumento da temperatura do planeta.

Menos Plástico
Quem quiser apoiar o time de Gisele Bündchen deve tomar atitudes para reduzir o desperdício de comida. Já o ator Ian Somerhalder, da série Vampire Diaries, pede mais parcerias com empresas que estão comprometidas com o ambiente e sugere que mais árvores sejam plantadas.

Os que apoiam o time do jogador de futebol Yaya Touré devem parar de usar sacolas plásticas durante as compras e optar pelas recicladas. Outra recomendação é evitar o uso de garrafas de plástico, já que o material é muito difícil de ser destruído.

Os embaixadores do Pnuma gravaram um vídeo para promover a edição 2014 do desafio, com Don Cheadle tocando trompete e Gisele Bündchen praticando kung fu.

Fontes: Rádio ONU Nova York e http://noticias.portalbraganca.com.br/internacional/onu/gisele-bundchenedon-cheadle-lancam-desafio... 


 “O Planeta Terra é a ilha compartilhada por todos nós. Devemos nos unir para protegê-la...”.

 

Ban Ki-moon, Secretário Geral da ONU, durante o lançamento do Ano Internacional dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento.


Um dia dedicado às ações positivas pelo meio ambiente

O Dia Mundial do Meio Ambiente (DMMA) é o principal veículo das Nações Unidas dedicado a estimular ação e conscientização global em prol do meio ambiente. A data tem crescido e se tornado uma importante plataforma pública, celebrada amplamente por partes interessadas em mais de 100 países. Também serve como o “dia das pessoas” para tomar uma atitude pelo meio ambiente, estimulando ações individuais ou coletivas que causem um impacto positivo no planeta.

Em apoio à designação pela ONU de 2014 como o Ano Internacional dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, o Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano usará o mesmo tema, com um foco especial na questão da mudança do clima.

O nosso objetivo é levar o tema à boca do povo, antecipando a Terceira Conferencia International sobre os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, que será realizada em setembro em Samoa, e estimular um maior entendimento da importância dessas ilhas e da urgência de protegê-las, tendo em vista seus riscos e vulnerabilidades, particularmente em relação à mudança do clima. Acreditamos que o DMMA será uma excelente oportunidade para incentivar solidariedade pelas ilhas.

Cada ação conta

O Dia Mundial do Meio Ambiente é uma chance para fazer as pessoas perceberem que são responsáveis pelo planeta Terra e que podem se tornar agentes da mudança.

O DMMA de 2013 gerou uma cobertura global ampla que contou com cerca de 200.000 postagens em blogs e 26.000 artigos publicados para o Dia Mundial do Meio Ambiente entre 1 e 10 de junho. Nossos vídeos foram assistidos por aproximadamente 120 milhões de pessoas pelas telas digitais na Times Square em Nova York, na Picadilly em Londres, e nas lojas Benetton (Live Windows) em Milão, Londres, Munique, Barcelona e Almaty. Nas redes sociais, o Twitter somou 200 milhões de usuários ativos e o Dia Mundial do Meio Ambiente esteve entre os Top 10 assuntos mais falados do dia em ao menos 15 países, com uma estimativa de 47.6 milhões de impressões no dia 5 de junho.

Registre hoje a sua atividade e faça parte!

O que você vai fazer no Dia Mundial do Meio Ambiente? Este ano, o tema nos leva a reconhecer que todos nós enfrentamos os mesmos desafios e estamos conectados e unidos por um objetivo comum de uma vida próspera e sustentável no planeta Terra. Devemos falar mais alto em solidariedade um pelo outro e, particularmente, pelos cidadãos dos Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento.

Celebre o Dia Mundial do Meio Ambiente! Seja organizando campanhas para a limpeza da sua rua ou promovendo iniciativas pela redução do desperdício de alimentos, dias sem carro, diminuição do uso de plástico, exibições de arte, movimentos de plantio de árvores, shows, recitais e apresentações de dança, iniciativas de reciclagem, campanhas online e competições — toda ação conta. Quando multiplicada por uma comunidade global, o impacto de nossas vozes e ações individuais se tornam exponenciais.



8 de junho



No Dia dos Oceanos é relembrada a importância dos oceanos no equilíbrio do planeta Terra e são feitas várias atividades de conscientização das pessoas para os perigos que os oceanos estão correndo. Todos os anos o Dia Mundial dos Oceanos tem um tema diferente. Em 2014, as Nações Unidas escolheram o tema Poluição dos oceanos.

O Dia Mundial dos Oceanos foi decidido na Rio-92, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, e alguns países começaram logo a comemorar a data. No entanto, apenas em 2008 a Assembleia Geral das Nações Unidas decidiu oficializou a comemoração a partir do ano seguinte (2009), no dia 8 de junho.


Os Oceanos constituem dois terços da superfície terrestre e são o principal regulador térmico do planeta. O grande desafio é minimizar o impacto que as atividades humanas estão tendo nos oceanos. É importante conscientizar governos, populações e demais entidades para a urgência de criar medidas que protejam os nossos oceanos.




Primeiro Concurso de Fotografia do Dia Mundial dos Oceanos Anual

Compartilhando a beleza e a importância do oceano

Os oceanos são essenciais para a segurança alimentar, a saúde ea sobrevivência de toda a vida, o poder do nosso clima e são uma parte crítica da biosfera. Em 2008, a Assembleia Geral das Nações Unidas decidiu que, a partir de 2009, 08 de junho seria designado pelas Nações Unidas como "Dia Mundial dos Oceanos" (resolução 63/111, n ° 171). A designação de Dia Mundial dos Oceanos da ONU é uma oportunidade para elevar a consciência global dos desafios atuais enfrentados pela comunidade internacional em conexão com os oceanos, e fazer parte das soluções.
Dia Mundial dos Oceanos ajuda você a fazer a diferença em sua vida, a comunidade eo mundo, tomando medidas para proteger nosso oceano para as gerações presentes e futuras. Apesar dos enormes desafios enfrentados pelos oceanos do mundo, trabalhando juntos, podemos alcançar um oceano saudável que oferece para os milhares de milhões de seres humanos, plantas e animais que dependem dele todos os dias.

Este ano, você pode compartilhar a beleza ea importância do oceano, através de suas fotografias!

 

O Concurso

A fotografia é um poderoso meio de expressão que pode ser usado para se comunicar fortes mensagens positivas sobre um assunto. Este concurso de fotografia aberto e livre procura inspirar a criação e difusão de tais imagens positivas, que transmite a beleza ea importância do oceano.
Cinco categorias temáticas estão abertos para inscrições fotográficas:
1.       Fundos marinhos
2.       A vida subaquática
3.       Acima marinhas de água
4.       "Os seres humanos positiva interação / experiência com o oceano
5.       Juventude: categoria aberta, qualquer imagem do oceano - abaixo ou acima da superfície - fotografado por um jovem com menos de 16 anos (em 1 de Abril de 2014)

As inscrições devem retratar um tema positivo e submetidas electronicamente através do Dia Mundial dos Oceanos Photo Contest portal de acordo com as diretrizes do concurso e sujeito às regras do concurso.
Imagens vencedoras será reconhecido nas Nações Unidas em segunda - feira, 9 de junho, 2014, durante o evento das Nações Unidas assinalar o Dia Mundial dos Oceanos 2014. Reconhecimento e difusão das imagens vencedoras, e talvez alguns top runner-ups, será amplamente exposto em todo o site do concurso , a mídia e os materiais de informação relacionados com concursos posteriores. Enquanto se aguarda a fixação de patrocinadores, materiais ou prêmios em dinheiro pode ser concedido.

Todas as inscrições devem ser apresentadas até 03 de junho de 2014 às 17:00 Eastern Standard Time (EST).

 

Enviar uma foto

 

Prêmios

Imagens vencedoras será reconhecido nas Nações Unidas em segunda - feira, 9 de junho, 2014, durante o evento das Nações Unidas marcação Oceans Day 2014.
Reconhecimento e difusão das imagens vencedoras, e talvez alguns top runner-ups, será amplamente exposto em todo o site do concurso, a mídia e os materiais de informação relacionados com concursos posteriores. Enquanto se aguarda a fixação de patrocinadores, materiais ou prêmios em dinheiro pode ser concedido.

 

Regras do Concurso

·         O concurso é aberto a participantes de todos os níveis.
·         Concurso de fotografia pessoal e juízes não estão autorizados a entrar no concurso.
·         Cada indivíduo só pode ganhar um pacote de prêmios ou prêmio.
·         Os vencedores serão anunciados em 9 de Junho de 2014 no New York, por ocasião da marcação de 2014 Dia Mundial do Oceano, nas Nações Unidas, e publicado aqui o mais tardar até 20 de junho de 2014.
·         Regras de conservação serão estritamente observados. Flora e fauna nunca deve ser sublinhado ou em perigo por causa de uma foto. Entradas suspeitos de exibir o seguinte comportamento será desclassificado:
o    Fotógrafos visivelmente prejudicando o meio ambiente (por exemplo, engrenagem arrastando ou levantando areia).
o    Animais com sinais de estresse (por exemplo, baiacu inchado, tinta de polvo).
o    Animais mudou-se para um ambiente natural ou local de risco.
o    Vida marinha ser tocado (por exemplo, pólipos de coral, rabos de cavalos-marinhos).
o    Mergulhadores com fraco controle de flutuabilidade.
·         Todas as imagens apresentadas devem ter sido tomada pelo participante.
·         As imagens que ganharam ou colocados em concursos de fotografia com trabalhos vencedores anunciados antes de 1 de Dezembro de 2013, não podem ser apresentadas. A imagem vencedora é definida da seguinte forma:
o    qualquer imagem que tenha colocado 1 º, 2 º ou 3 º em um grande concurso de fotografia (a ser determinado subjetivamente pelos juízes).
o    qualquer imagem que tenha colocado 1 º, 2 º ou 3 º em qualquer foto do concurso do tipo ano. Fotos do dia, semana ou mês são muito bem.
o    uma única imagem que fazia parte de um portfolio, mas não colocar como uma única imagem, é elegível para ser inserido.
·         Fotógrafos manter todos os direitos autorais de suas imagens. Os organizadores do Concurso de Fotografia Dia Mundial dos Oceanos reter o direito de publicar as inscrições do concurso em qualquer formato de felicitar ou apresentam os vencedores e suas respectivas imagens, e para promover futuros eventos do Dia Mundial dos Oceanos. Imagens vencedoras serão incluídas em um comunicado de imprensa para sites de terceiros e publicações no âmbito da parabenizando e / ou com os vencedores e ganhar imagens e promover futuros eventos do Dia Mundial dos Oceanos. Diretrizes rígidas que necessitam de crédito da foto e de um tempo de uso de imprensa específico são emitidos junto com o comunicado de imprensa.
·         As inscrições podem ter sido tomada a partir de qualquer câmera, filme (como slides digitalizados) ou digital.
·         Todas as inscrições devem ser apresentadas até 03 de junho de 2014 às 17:00 Eastern Standard Time (EST).

Nota sobre manipulação de fotos
Imagens pós-processamento é permitido. Isto inclui ajustes globais para exposição, contraste, queimando, esquivando-se, corte, afiação, redução de ruído e tom. Limpeza Menor de imagens é permitido, incluindo a remoção de backscatter, poeira e arranhões. HDR, panoramas, foco de empilhamento ou outras técnicas que envolvem o uso de várias imagens tiradas no mesmo horário e local também são permitidos.
Adicionar, remover ou mover os animais, pessoas, plantas ou outros objetos não é permitido. Por exemplo, um movimento de peixe, a remoção de um elemento de recife ou adicionando um brilho a uma tocha de mergulhadores não é aceitável.
Embora a manipulação digital é permitido, por favor, mantenha em mente que esta não é uma competição Photoshop. Todas as imagens devem representar fielmente o objecto ea natureza. Imagens que parecem ser processado excessivamente pode ser desclassificado a critério dos juízes.

 

Apresentação Diretrizes Foto

·         As inscrições devem ser salvos no formato jpeg e deve ser dimensionado para ser entre 2000 e 6000 pixels na maior dimensão. Por favor, limite suas imagens para um tamanho máximo de arquivo de 5.000 KB (5MB). As imagens serão visualizadas em um monitor grande e deve estar no AdobeRGB 1998 ou espaço de cor sRGB.
·         Uma imagem pode ser carregado somente em uma categoria.

 

Os co-organizadores

Se a sua organização estaria interessada em apoiar o Concurso de Fotografia Dia Mundial dos Oceanos anual entre em contato conosco aqui .
·         O Projeto de Oceano: inspira ação para proteger nosso oceano com a sua rede de aproximadamente 2.000 parceiros zoológicos, aquários, museus (Zams) e outras organizações de conservação - o maior já desenvolvido. O Projeto Oceano capacita seus parceiros com pesquisa de comunicações de ponta , ferramentas e recursos estratégicos relacionados , incluindo subsídios que ajudam Zams capturar a imaginação das pessoas, criar cidadãos e comunidades mais engajados, e resultar em impacto significativo conservação.
·         Rede Ocean World : uma rede de 500 membros, incluindo museus de História Natural, aquários, e fundações, que alcançaram um público de 600 milhões de pessoas por ano em 60 Estados. Por meio de sua associação, que reúne os mundos da política, da ciência, da administração pública e da mídia, e está em uma posição muito boa para sensibilizar, informar e mobilizar os cidadãos sobre a questão da preservação do oceano.
·         Guia de Mergulho de Fotografia : a fotografia e videografia submarina abrangente de recursos e premiado site para fotógrafos e cinegrafistas de todos os níveis. Ele tem uma comunidade de mais de 50.000 fotógrafos subaquáticos e videomakers de todo o mundo. Várias vezes por ano, eles também hospedar DPG expedições de fotografia subaquática.
·         Festival Mundial da Underwater Imagens: um evento artístico, cultural e científico que visa promover uma melhor gestão do mar e dos oceanos. T ele Festival Mundial de Imagens Subaquáticas oferece filmes subaquáticos, fotografias, seminários, eventos e muito mais.

Link para o site: http://worldoceansday.org/